quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Circuitos: Donington Park

Verdadeiro veterano, este circuito britânico originalmente criado para competições motociclistas soube cultivar um ambiente genuíno que facilitou a organizaão de numerosas manifestações motorizadas, tanto sobre duas como sobre quatro rodas. Donington apenas recebeu a Fórmula 1 em 1993, naquela que foi uma das melhores prestações individuais da história da categoria máxima do automobilismo Mundial.

A veterana pista inglesa fica situada no centro do país, numa zona de verdes prados perto do castelo de Donington, e a sua localização, rodeada por um anfiteatro natural, facilita uma posição ideal para que o público siga de perto as corridas.

Dos pouco mais de quatro quilómetros de traçado, apenas 564 metros correspondem à recta da meta, ao passo que são onze as curvas que é preciso negociar ao longo de uma volta, quatro esquerdas e sete direitas.

A pista apresenta uma largura de 10 metros e, embora não seja uma das mais largas das que já figuraram no campeonato do Mundo de Fórmula 1, permite ultrapassagens em diferentes pontos-chave - como nos demonstrou Ayrton Senna no fenomenal Grande Prémio da Europa de 1993, a única corrida disputada em Donington -, algo que poucas vezes acontece nos demais circuitos.

Donington apresenta duas zonas bem diferenciadas, uma parte mais fluida e veloz e outra bastante mais lenta. Por exemplo, a parte oposta à recta principal conta com uma série de curvas rápidas, ao passo que as curvas que precedem a meta são bastante lentas. Além disso, o circuito britânico conta com o factor de incerteza que está sempre presente, o tempo. Nunca é fácil prever as condições atmosféricas que se farão sentir numa corrida, de maneira que os pilotos devem estar preparados quando chega a altura de afinarem as suas "máquinas" durante os treinos livres.

Donington foi construído em 1931, precisamente para receber corridas de motas e outros certames relacionados com as duas rodas. A seguir tornou-se foco de numerosas manifestações motociclistas, muitas das quais de âmbito internacional, conhecendo um período de esplendor especialmente brilhante entre os anos 1935 e 1938.

Como todos sabemos, somente a partir de 1950 é que conhecemos a maior competição automóvel como Fórmula 1, mas em 1937 e 1938 foram realizadas corridas de Grande Prémio entre a Mercedes e a Auto Union. A vitória em ambos, sorriu à Auto Union.

O intervalo, durante a Segunda Guerra Mundial alongou-se mais do que o devido e a pista britânica permaneceu abandonada, ao contrário de Silverstone, até que em 1971 foi resgatada por Tom Wheatcroft, um abastado homem de negócios, que deitou as mãos à obra para restaurar o seu esquecido esplendor.

Seis anos mais tarde, Donington-Park, reabria as portas. Desde então, o circuito foi alvo de uma digna reforma, que aconteceu em 1985, quando lhe foi acrescentada a curva Melbourne.

O único Grande Prémio de Fórmula 1 disputado em Donington-Park remonta ao ano de 1993, foi o ponto mais alto da gestão efectuada por Wheatcroft.


No Sábado, em pista seca, Alain Prost demonstrou toda a sua classe, tendo obtido uma "pole-position" canhão, com o tempo de 1:10.458, com dois segundos de vantagem em relação a Ayrton Senna.


Chegou o dia da corrida e, o factor incerteza aparecia, ou seja, a chuva chegava a Donington para dar ainda mais espectacularidade durante a corrida.

Senna que era reconhecido pelas suas soberbas exibições com piso molhado, não se fez rogado e realizou aquela que é ainda hoje considerada como a sua melhor performance individual. O tri-campeão do Mundo consegui numa só volta chegar à liderança da corrida.

Outro dos pilotos que esteve em destaque no dilúvio de Donington foi Rubens Barrichello, que largava em 12º lugar e que no final da primeira volta já era o quarto classificado. Barrichello viria a não finalizar a corrida devido a um problema mecânico, contudo, Rubens teve em Donington uma excelente prestação.

Mostrada a bandeira de Xadrez, Senna era coroado como o primeiro e único vencedor de um Grande Prémio de Fórmula 1 em Donington, ao passo que a volta que deu a "pole" a Prost ficava na história como a volta mais rápida efectuada por um Fórmula 1 no traçado britânico.

Ultimamente, Donington Park é o autódromo com a agenda mais vasta e completa do Reino Unido, e entre os eventos estão o Grande Prémio britânico da MotoGP, uma das rondas do BTCC, o British Superbikes, além de corridas da F-Ford e Fórmula 3 Inglesa.

No dia 5 de fevereiro de 2007, Tom Wheatcroft vendeu o circuito para a Donington Ventures Leisure Ltd., que pretende reformar novamente a pista, e também gerou a expectativa de que Donington volte a albergar o Grande Prémio de Inglaterra de Fórmula 1 a curto prazo.


Para concluir aqui fica o vídeo da fantástica primeira volta de Ayrton Senna "charco" de Donington.

2 comentários:

Fleetmaster disse...

Show de bola ! Não dá para falar desta pista sem mencionar Ayrton Senna. Ainda mais com o fato dele ter feito a volta mais rápida da prova passando por dentro dos boxes.

Blog F1 Grand Prix disse...

Belo texto. Donington teve apenas uma corrida da Fórmula 1 na história. Mas ela já valeu umas trinta edições ao mesmo tempo...

Grande abraço!