terça-feira, 14 de agosto de 2007

Circuitos: Montjuïc

Situado na "Montanha Mágica", Montjuïc é um dos mais carismáticos circuitos.

A montanha mágica. Se esta pequena colina de Barcelona é conhecida por alguma coisa, é pelo seu carácter mágico, que a levou a receber uma das corridas urbanas com mais sol da Europa e a mais importante de Espanha.


Ainda hoje, aqueles que recordam parecem sentir os pilotos passar à sua frente.

A verdade é que o traçado urbano de Montjuïc era tão bonito como perigoso.

O circuito de Montjuïc herdou, de certa maneira, a tradição de outros traçados anteriores, quando a expansão da cidade acabou por levar as corridas para o cenário da montanha de Montjuïc.

Desde 1908 que se disputavam provas internacionais na região de Montjuïc sempre com uma grande afluência de público e de pilotos.

Em 1933, foi realizado no Montjuïc o primeiro Grande Prémio de Motas, prova da grande paixão que Barcelona sempre nutriu pelas motas.Por essa altura, o circuito tinha cerca de 3750 metros de comprimento e era tudo menos fácil. Nele, os pilotos não só tinham de demonstrar ser mestres na condução das suas "máquinas" como também tinham de se tornar "malabaristas" para dominar os seus engenhos no irregular piso do traçado de Montjuïc que tinha alguns troços em paralelo (pedras da calçada/passeios) onde os pilotos desafiavam bermas perigosas e os omnipresentes e temidos candeeiros de rua e árvores.

Em 1969, Montjuïc conseguia a proeza de poder organizar o Grande Prémio de Fórmula 1, como Grande Prémio de Espanha, depois de em 1968 ter sido disputado em Jarama. Foi a 4 de Maio de 1969 e coroou Jackie Stewart como o primeiro vencedor de Grandes Prémios de Fórmula 1 disputados em Montjuïc. Nos anos de 1971, 1973 e 1975 a Fórmula 1 regressou à Montanha Mágica.

Montjuïc era um circuito em que se circulava no sentido oposto ao dos ponteiros do relógio.

Em 1975, o último Grande Prémio de Espanha disputado em Montjuïc, ficou marcado por diversos acidentes que começaram a criar certas dúvidas, no que tocava a segurança do traçado. Logo na primeira volta, o bicampeão Emerson Fittipaldi abandonou em forma de protesto, até que na 26ª volta, o monolugar de Rolf Stommelen embateu e acabou por matar 5 espectadores. Face tal acontecimento, a corrida foi interrompida e Joachen Mass (McLaren-Ford) declarado o vencedor.
Na curta história da Fórmula 1, no traçado catalão de Montjuïc, podemos ainda acrescentar que a volta mais rápida efectuada pelos monolugares de Fórmula 1, foi efectuada pelo Lotus-Ford, de Ronnie Peterson, com o tempo de 1:23.8.

Ao longo da sua história, Montjuïc recebeu todos os tipos de provas mas as mais importantes foram, sem margem para dúvidas, os Campeonatos do Mundo de Velocidade e as 24 Horas de Montjuïc, que hoje se disputam no Circuit de Catalunya (Montmeló).

O circuito de Montjuïc suscitava todo o género de comentários, mas todos focavam sempre a questão do perigo e tantas vezes "foi o cântaro à fonte que acabou por se partir".

Depois do já mencionado episódio de 1975, outra trágica sequência teve lugar em 1986, numa corrida de motas, na qual dois corajosos pilotos perderam a vida. Este trágico acontecimento tornou claro que as motas da época precisavam de mais espaço e de mais segurança do que aquele que o circuito urbano de Montjuïc podia oferecer. Para alguns adeptos foi uma pena, pois ficaram privados de ver tão perto os seus heróis, mas foi uma boa notícia para o desporto motorizado em geral, sobretudo quando o Circuit de Catalunya (Montmeló), já em fase de construção, pretendia tornar-se num dos melhores do Mundo, como veio a acontecer.

O desporto motorizado pode ter deixado a montanha mágica mas a montanha não deixou o desporto e de ser uma atracção do patamar desportivo.

Foi palco de acontecimentos desportivos importantes da cidade de Barcelona, como os Jogos Olímpicos de 1992, disputados no Estádio Olímpico, que é hoje em dia a "casa" do RCD Espanyol, a segunda equipa de futebol da cidade e que eliminou o SL Benfica na Taça Uefa a época passada.

Mesmo assim Montjuïc permanecerá para sempre na memória dos adeptos.

2 comentários:

Blog F1 Grand Prix disse...

Apesar de 1975, é um circuito para ser lembrado. Belo texto, Schuey!

Grande abraço!

Ron Groo disse...

Eu ainda queria ver corridas por lá...è mitico como Monaco.