sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Nelson Piquet faz hoje 55 anos!

Faz hoje anos o tricampeão do Mundo de Fórmula 1, o brasieliro Nelson Piquet!

Nascia a 17 de Agosto de 1952 no Rio de Janeiro, uma criança que anos mais tarde chegaria a andar nas "bocas do Mundo", essa criança era Nelson Piquet Souto Maior.

Piquet viveu grande parte da sua infância em Brasília. Por incrivel que pareça, o primeiro desporto praticado por Nelson Piquet foi o ténis que em nada se relacionava com o desporto motorizado, desporto esse em que o brasileiro se iria destacar anos mais tarde.

Nelson começou a carreira no kart aos 14 anos onde foi campeão brasileiro em 1971 e 1972. Tirou o curso de engenharia mecânica na Unb até ao terceiro período e em 1976 foi campeão da Fórmula Super-Vê. No ano seguinte tentou a sorte na Europa, seguindo o caminho aberto por Emerson Fittipaldi. Participou em algumas das provas do Campeonato Europeu de Fórmula 3, que terminou em terceiro, com duas vitórias, atrás do italiano Piercarlo Ghinzani e do sueco Anders Olofsson.

Em 1978, na Fórmula 3 inglesa, sagrou-se campeão e quebrou o recorde de Jackie Stewart de maior número de vitórias numa temporada. A sua estreia na Fórmula 1 aconteceu num teste oferecido pela já extinta equipa BS Fabrications, de Bob Sparshott, que tinha um McLaren M23. Pouco tempo depois, ainda em 1978, Piquet estreou-se verdadeiramente numa corrida, o Grande Prémio da Alemanha, em Hockenheimring, com um carro alugado da equipa Ensign. Neste ano, disputaria outros três Grandes Prémios com o McLaren da BS Fabrications.
Com o carro da pequena equipa inglesa, abandonou na Holanda e na Áustria, terminando em nono lugar na Itália, na corrida em que morreu o piloto sueco Ronnie Peterson. Contudo, o brasileiro já era visto por muitos como uma promessa - a sua aparição meteórica rendeu elogios e uma profecia certeira do chefe da equipa BS Fabrications, David Simms. "Aposto meu dinheiro, com quem quiser, que Nelson Piquet será campeão mundial em três anos."

No Grande Prémio do Canadá, já fazia a sua estreia pela Brabham, com um terceiro carro da equipa então comandada por Bernie Ecclestone.


Em 1980, Piquet obtinha a sua pimeira vitória na disciplina máxima do automobilismo Mundial. Foi no circuito de Long Beach.


Em 1981, Piquet, alcançaria o seu primeiro título mundial, após uma intensa batalha contra o argentino Carlos Reutemann. Na última ronda, no circuito de Las Vegas, também nos Estados Unidos, Piquet terminou em quinto lugar, mas Reutemann não pontuou e o brasileiro venceu o campeonato por apenas um ponto de diferença.


Piquet consegue em 1983 o seu segundo título, na última corrida, o Grande Prémio da África do Sul em Kyalami. Foi, também, o primeiro campeonato vencido por um carro com motor turbo na Fórmula 1.


No ano de 1986, Piquet, na primeira edição do Grande Prémio da Hungria, realizou, sobre Ayrton Senna, a ultrapassagem que muitos consideram como a mais bela de todos os tempos na Fórmula 1 - no fim da reta dos boxes, pelo lado de fora de uma curva de 180 graus, escorregando nas quatro rodas -.


O tricampeão Jackie Stewart, comentando a cena, disse que era "como fazer um looping com um Boeing 747".


Em 1987, os Williams dominaram a temporada. Piquet sofreu um grave acidente logo no início do ano, num teste no circuito de Imola, na mesma curva Tamburello que se tornaria famosa pela morte de Ayrton Senna. "Depois desse acidente, minha visão nunca mais foi a mesma, e eu perdi uma parte da noção de profundidade", declarou Piquet anos depois.

Mesmo assim, Piquet e Mansell disputaram o título corrida a corrida e, para Piquet driblar o alegado favorecimento da equipa ao inglês, lançou mão das suas conhecidas artimanhas, como testar com uma configuração ruim do carro, que muitas vezes seria copiada pelos mecânicos de Mansell, e alterá-la completamente minutos antes do treino ou da corrida.
Nos treinos livres para o Grande Prémio do Japão, Mansell sofreu um forte acidente que, embora não o tenha causado ferimentos sérios, deixo-o sem condições para disputar a prova, e Piquet sagrou-se tricampeão mundial por antecipação.


O título de 1987 seria o último de Nelson Piquet na Fórmula 1.

Piquet abandonou a Fórmula 1 em 1991, mas continuou a correr em campeonatos de Turismo e de monolugares. Após abandonar a categoria máxima o tricampeão ainda participou nas 24 Horas de Le Mans e de Spa-Francorchamps. Também alinhou nas 500 milhas de Indianápolis.


Hoje em dia, Nelson Piquet ainda procura ganhar titulos na Fórmula 1 por intermédio do seu filho Nelson Ângelo Piquet (Piquet Jr.) - jovem promessa do automobilismo brasileiro, do qual se espera que consiga seguir as pisadas do seu pai -.


Para a história ficam os números e as estatísticas de Nelson Piquet:


3 títulos mundiais de Fórmula 1 (1981, 1983 e 1987)
Temporadas na Fórmula 1: 13
Grandes Prémios iniciados: 204
Pódios: 60
Vitórias: 23
Pole Positions: 24
Melhores voltas: 23
Pontos: 481,5
Comandou: 56 Grandes Prémios, 1572 voltas
Terminou: 121 Grandes Prémios
Retirou-se em: 84 Grandes Prémios


Uma das frases mais célebres de Nelson Piquet, espelha em muito a forma de como o brasileiro vivia a sua carreira na Fórmula 1:

"O meu sangue tem mais gasolina do que hemoglobina"



2 comentários:

Adalberto Althoff Jr. disse...

Belíssima biografia! parabéns pelo texto!

Anónimo disse...

I'm impressed.

Maybe this is worth sharing that i found in this few posts below.[url=http://www.carcoverspal.com]Car Covers[/url]